Devemos dar o dízimo do líquido ou do bruto?

Uma discussão que sempre existiu em torno da contribuição em dinheiro para a igreja é se devemos dar o dízimo do salário bruto ou do valor líquido do contracheque.

Para começar, o dizimista deve ter em mente que, no sistema de nosso país, há um adiantamento mensal, geralmente pago no meio do mês, que aparece como desconto no holerite. Por isso, mesmo quem dá o dízimo do salário líquido não pode simplesmente tomar o valor com os descontos que aparece no envelope, porque o adiantamento que ele recebeu foi em dinheiro.

Por exemplo, no envelope de uma pessoa que recebe 1.400 reais por mês, com um adiantamento de 40%, iria constar:

Salário mensal                       1.400,00

(-) INSS                                        126,00

(-) Adiantamento                     560,00

Total líquido                              714,00

O único desconto “real” aqui é o INSS, porque o adiantamento, como já disse, corresponde a um valor efetivamente pago. Portanto, quem costuma dar o dízimo do salário líquido precisaria somar aos 714 reais líquidos os 560 de adiantamento. Assim, teríamos: 714 + 560 = 1.274 reais. O dízimo correto, nesse caso, seria 127,40 reais, não 71,40 reais. (Pode-se também apenas deduzir o INSS: 1.400-126 = 1.274 reais.) Espero não ter dado uma má notícia para ninguém.

E quanto aos descontos “reais”, como INSS, vale-transporte, vale-refeição e outros? Digo que esses valores não são descontos de dinheiro recebido, mas correspondem a benefícios. O INSS resulta em aposentadoria. O vale-transporte e o vale-refeição também dizem respeito a vantagens usufruídas pelo trabalhador. O mesmo vale para o IRPF, porque, pelo menos em tese, você recebe esse dinheiro de volta com os investimentos do governo em segurança, saúde, e assim por diante. Portanto, não vejo lógica, muito menos fundamento bíblico, na dedução desses valores no cálculo do dízimo.

Sempre dei o dízimo do meu salário bruto porque, com desconto ou não, é isso que recebo. (Agora adotei outra forma de contribuição, mas não vem ao caso.) Entretanto, como saliento no comentário da lição 9 deste trimestre (leia aqui), o dízimo não é a única contribuição legitimada pelo Novo Testamento: cada pessoa pode contribuir “segundo tiver proposto no coração”, como ensinou o apóstolo Paulo.

Leia também: Novas considerações sobre o dízimo.

About these ads

30 comentários em “Devemos dar o dízimo do líquido ou do bruto?

  1. Tive um dirigente de congregação que dizia (certamente diz ainda) que se por exemplo eu ganho um presente, digamos uma camiseta, eu teria que ir a uma loja, consultar o valor dela e dar o dízimo da mesma.

    Sinceramente nunca me dei ao trabalho de fazer isto…
    Meu coração nunca me condenou, e lembrei-me do fato (faz tempo) ao ler seu post.

    Estaria ele correto?

    Moyses, a contribuição “correta” é a do coração. Minha opinião é que, se alguém se propõe dar o dízimo de tudo e acha que deve converter em moeda a décima parte do que recebe em presentes e ofertar para a igreja, ele está correto, porque dízimo não é só de dinheiro. Mas ele se nunca se deu o trabalho de fazer isso, como você, também está certo.

  2. Judson,

    Qualquer ensino que determine minuciosamente o modo de se dizimar, automaticamente incorre no erro de conduzir os crentes a retroceder aos tempos em que a Lei mosaica predominava.

    A contribuição é voluntaria justamente porque nos desafia a exercer a liberdade que temos, pela Graça, em proveito do bem e do amor ao próximo, uma vez que agir assim é estar de acordo com o mandamento de Jesus nos evangelhos.

    Oseias

    Muito bem observado, Oseias.

  3. que Deus abençõe você cada vez mais, e lhe conceda mais sabedoria, para orientar tantos quantos tenham vontade de aprender,pois o que falta nos pulpitos INFELIZMENTE são pessoas que tenham o que ensinar,mas acredito que Deus esta levantando uma geração, que dará o devido valor ao estudo da Palavra de Deus!

    Pastor Marques, a Internet, a despeito de seus malefícios, de fato tem servido a cristãos interessados na divulgação dos princípios bíblicos e da teologia saudável. Embora a minha contribuição seja modesta, fico feliz por fazer parte desse grupo.

  4. Acredito que deve-se ofertar o dízimo, antes de mais nada, com fé, gratidão e amor. Se é sobre o bruto ou sobre o líquido (desde que somados os adiantamentos ou “vales”, que você comentou).
    Pessoalmente, não vejo problema em dizimar sobre o líquido, pois tanto a restituição de imposto de renda e os proventos de aposentadoria serão dizimados. Dízimo não é tributo para incidir sobre a renda bruta, mas ato de fé.
    Sobre os benefícios não-financeiros (serviços prestados pelo estado, presentes etc), não vejo como serem objeto de dízimo específico, pois incorreríamos no erro fariseu de estabelecer minúcias sobre todos os detalhes da vida, o que é incompatível com a fé cristã. Tais coisas são bênçãos de Deus e devem ser objeto de louvor, gratidão e retribuição em favor dos menos favorecidos.
    Na minha opinião, essa seria a melhor forma de ofertar.

    Comentário interessante, Lucas. Apenas ressalto que dar o dízimo sem descontar os benefícios não financeiros não incorre necessariamente no erro dos fariseus. É questão da consciência de cada um. Até porque no texto de Mt 23.23 Jesus não critica o dízimo “minucioso” dos fariseus, e sim o fato de não entenderem o espírito da Lei.

  5. Gostei da sua visão, pastor, quanto ao salário bruto x líquido. Mas também não “condeno” aquele que, por desconhecimento, extrai a primícias do dízimo do salário líquido, embora passe a os ensinar a refletir, com o coração aberto, sob essa ótica.

    Observando os comentários, achei interessante o relato da camisa presenteada e considero que o presentar de outra camisa (mesmo que usada) a uma pessoa necessitada, estaria em conformidade com a essência do dízimo levado aos levitas, viúvas, órfãos e pobres. Sem o preciosismo da lei (que ordenaria 1 camisa para cada 10 recebidas, a cada 3 anos, Dt 14.28-29), a oferta dada de coração, com alegria, não com tristeza ou por obrigação, como ensinado em II Co 9.7, certamente alegra ao coração de Deus.

    Fique na Paz de Cristo Jesus!

  6. Sugiro a todos os amados irmãos que leiam- DÍZIMO – ENGANO CAVALGANDO A VERDADE (é só buscar no google) .Se depois da leitura acharem que devam dizimar, sugiro que entreguem diretamente nas mãos do Senhor! Como? Leia Mateus 25 31-46 e saberás!

  7. Prezado irmão! Como homem de Deus espero que publique meu comentário anterior!

  8. Quando se fala em dízimo, só comentam em dinheiro, queria também aqui comentar, que devemos também dar o dízimo do nosso tempo para o Senhor, pois dar o seu dízimo e não ter compromisso com o Senhor, é sacrifício de tolo.
    Sei da grande importância do dízimo, mas tem que ser por amor e voluntário, seja com bruto, seja com liquido, seja de tudo o que recebe.

    Rogerio

  9. Bom, sou evangélico ha alguns anos e sempre dei meu dizimo bruto pois nunca fui orientado de outra forma, mas fiquei um pouco intrigado com o caso de um amigo de trabalho que se converteu com uma longa vida para trás com isso ele paga 40% de pensão para 03 filhos tem descontos de IRRF entre outros.
    Assim seu salario liquido alguns meses não chega a 30% do bruto.
    Neste caso ele teria que dar 10% do bruto e se virar com que sobrar sendo que os 20% restantes não chegariam nem a 80% de um salario minimo.

    Um outro questionamento que me fiz eu dou meu dizimo sobre o bruto.
    Sempre consigo restituição do IRRF tenho que dizimar sobre esse valor que era meu o governo me toma como se eu não fosse paga-ló e se caso eu justificar ele me devolve mas esse dinheiro não representa um ganho, então devo dizimar sobre a restituição do IRRF.

  10. Não há nada de farisaísmo em orientar uma pessoa quanto à forma correta de dizimar…Isso é atuar com ordem e decessencia nas coisas de Deus…Li esses posts e agora dizimarei conscientemente, pois o dízimo é necessário para manutenção da casa de Deus.

  11. A Paz do Senhor Jesus!!
    Realmente muito esclarecedor o texto. Entretanto, restou-me uma dúvida: no caso de assalariados, não seria correto deduzir o valor do INSS e IR? Pois, no caso do INSS, durante a aposentadoria o dízimo ainda seria devolvido; e, no caso do IR, se houvesse restituição o dízimo também seria devolvido.
    Perguntaram para Jesus se era lícito pagar impostos e o Mestre respondeu: dai a Cesar o que é de César e a DEUS o que é de DEUS. Entendo que o dízimo deveria ser dado do valor já descontado o imposto (IR, por exemplo), pois esse dinheiro não é nosso e caso sim haja alguma restituição, ai sim dizimamos do valor, pois ele passaria a ser nosso.

    Fico no aguardo de uma orientação?

    Grato!!
    A Paz do Senhor Jesus!!

    Lázaro, em razão de seu pedido e das dúvidas que percebo em outros leitores, escrevi outro artigo que é o complemento deste. Leia aqui: http://judsoncanto.wordpress.com/2012/10/22/novas-consideracoes-sobre-o-dizimo.

  12. dizimo ou o evangelho.

    O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento OSEIAS 4, 6.
    Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. MATEUS 22, 29.
    Um dos grandes erros que a maioria daqueles que se convertem a Cristo cometem e que não fui Ex cessão é pensar que só se deve ler a bíblia, ou melhor escuta-la de nossos lideres sem ao menos examina-la como os crentes de Bereia (ATOS 17 – 1) Gente alienada da história, jamais ira discernir o evangelho na gravidade profética que ele carrega
    O que significa ser cristão?
    Para muitos líderes nos dias atuais ser um bom cristão é: ser religiosamente assíduo a todas as reuniões, é ser um fiel dizimista e ofertante, haja o que houver e custe o que custar, seja por medo das maldições ou voluntariamente, é também ser um fiel apoiante a causa, de preferência sem nenhum ponto de discordância e etc., mesmo que em vivendo largos anos dentro do templo (predio), mais continuando ignorantes acerca do evangelho, e são essas pessoas que estão sempre prontas a dizer amém para tudo, desde que parta de seus lideres.
    E assim muitos são filhos do “Cristianismo” mais não do Evangelho; têm relação com a “igreja” mais não tem vida com Deus. são secos, vazios, murchos, mais são cristãos. Em João 10, 10 Jesus diz; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.
    a vida, a paz, o gozo e alegria de DEUS não se instalam na gente, por se ser membro de carteirinha de uma denominação ” para muitos a denominação é um tipo de videira”, nem por ter uma agenda cheia com os (negócios) do reino ou ser religiosamente assíduo a todas as reuniões(o que para muitos é um índice de espiritualidade). Já ouvi irmãos declararem que quando por algum motivo não comparecem na igreja (prédio) suas vidas correm mal.
    Eu vos garanto pela palavra do evangelho, que isso não é vida de DEUS.
    A um hino, e que eu gostava muito e que dizia assim: nesta noite feliz, neste santo lugar, eu marquei um encontro com DEUS.
    Em nome de Jesus, compreenda, você não se encontra com DEUS na igreja (prédio); se isso fosse verdade, então ate o momento do encontro ele estaria ausente de ti. Isto é mais uma das frases feitas para criar dependência e vicio de reuniões e cultos de hora marcada.
    Em João 15 Jesus declara que a vida, a paz, o gozo e alegria de DEUS se instalam na gente quando, como ramos estamos ligados e nos alimentamos dele e só nele, a videira verdadeira.
    Se eu perguntasse quem fundou o cristianismo, certamente que muitos iriam dizer que foi Jesus.

    Apesar do apelido cristão derivar-se do nome Cristo não é um apelido dado por Jesus aos seus discípulos, Jesus nunca fundou nenhuma religião ou Cristianismo. Ele jamais chamou um de seus apóstolos ou qualquer outra pessoa de “cristão”. Ele simplesmente chamava-os de “amigos ou discípulos

    .Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. João 15:15
    Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; João 8:31
    Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. João 13:35.
    O apelido “cristão” surgiu pela primeira vez na cidade de Antioquia em referencia aos discípulos de Cristo naquela cidade (At 11,26). Foram assim chamados pelos moradores devido ao bom exemplo que eram e por sempre testemunhar a respeito de Jesus.
    ate ai não haveria mal algum, não fosse o facto de a partir do 3º século surgir oficialmente o Cristianismo Constantiniano [aliás, o único Cristianismo, posto que Jesus nunca tenha fundado nenhuma religião ou Cristianismo] e são as raízes deste cristianismo que determinam até hoje quase tudo aquilo que a “igreja” chama de “Deus”, de “Jesus”, de “Igreja”, de “Doutrina”, de “Poder”, de “Estado”, de “Direito”, de “Ciência Teológica”; e está presente em todas as formas de governo e disciplina na “Igreja”.
    Hoje, para nos tornamos discípulos de Jesus teríamos quase que passar por uma profunda “desconstrução” em nossas crenças e voltarmos à simplicidade do Evangelho.
    Se a humanidade tivesse uma amnésia total acerca do “Cristianismo”,cristianismo este, adulterado, deturpado e manipulado e Jesus, somente Jesus, fosse pregado na simplicidade com a qual Ele mesmo anunciou o Evangelho, então, acredite: uma multidão de conversões genuínas aconteceria.
    Pouquíssima gente quer este cristianismo apresentado pelas inúmeras denominações, porque O “Cristianismo” como o conhecemos hoje, desfigurou Jesus de tal modo que Ele se tornou desprezível em muitos lugares, e não é por maldade humana, mas apenas pela impossibilidade de aceitar o estupro deste pacote chamado “cristianismo que nada tem a ver com o evangelho.
    Historicamente, o pior inimigo de Jesus e do Evangelho na Terra foi e é o “Cristianismo”. Cada denominação a defender o seu quintal, ou melhor o seu curral, ou se preferirem o seu reininho particular.
    É uma grotesca contradição quando o evangelho nos relata em João 19:30: E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito
    “Está Pago”—Tetelestai —“está consumado”— a divida que não podias pagar, paguei eu, o problema que não podias resolver, resolve eu.
    Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.
    Colossenses 2:14

    Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8
    hebreus 4 16 Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.
    o problema é que a graça apresentada hoje pela igreja, é quase graça! E não sendo totalmente graça é desgraça.
    Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.
    Romanos 8:1
    me entristeço diante do relato tão claro acerca do sacrifício único, perfeito e completo de Jesus para salvar o homem e ao mesmo tempo ouvir afirmações categóricas de que o homem ainda deve a DEUS e que se não pagar estará debaixo das maldições.
    Ou paga para DEUS ou para farmácia, ou paga para DEUS, ou paga na oficina. …..
    eu não contribuo por causa de Malaquias, nem tampouco com medo de ser “ladrão”, ou de ser vitimado pelo “devorador”. Todas essas coisas morreram com Jesus na Cruz. Nele todos os devoradores foram despojados na Cruz. contribuo por gratidão pela grandiosa transformação que ele fez em mim. do contrario não seria graça.
    Muitos saem em defesa do dízimo afirmando: Mas o Dízimo é bíblico (Número 18.21 a 26). Certamente, como também é bíblico: A circuncisão (Gênesis 17.23 a 27), o sacrifício de animais em holocausto (Levíticos Capítulos do 1 até 6.8-13), a santificação do sábado (Levíticos 23.3), o apedrejar adúlteros (Levíticos 20.10 e Deuteronômio 22.22), etc. É bíblico, mas pela ordenança da lei que Moisés introduziu ao povo. Então porque hoje não cumprem a lei na sua totalidade, ao invés de optarem exclusivamente pelo dízimo? Querem o dízimo porque é a garantia de renda líquida e certa todos os meses nos cofres das igrejas.

    Pelo amor de DEUS, você consegue ver amor de DEUS nisto?
    João 3,16 porque DEUS AMOU….. DEUS não vendeu em suaves prestações, nem barganhou. DEUS deu o seu filho.
    A minha tristeza é contra as formas, hierarquias e sistemas que passaram a serem usados para manipular e escravizar pessoas. Pessoas que ate conseguem ser convincentes durante a liturgia de um culto, mais não conseguem em confiança e graça enfrentar os problemas reais do dia-a-dia No Novo Testamento a linguagem muda completamente e os adúlteros e rebeldes arrependidos em lugar de serem apedrejados são perdoados e passam a viver em novidade de vida.

    Os que utilizam o argumento do dízimo obrigatório de Malaquias 3 parece que jamais leram o Novo Testamento que nos mostra claramente que o devorador foi vencido em nossa vida, independente de dízimos. Veja o que nos mostra o Novo Testamento:

    1) Já estamos abençoados – Efésios 1:3 – “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo”.

    2) O devorador já foi derrotado – Hebreus 2:14 – “Portanto, visto como os filhos são participantes comuns de carne e sangue, também ele semelhantemente participou das mesmas coisas, para que pela morte derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o diabo”.

    3) O devorador (o maligno) não pode nos tocar, em nosso bens, nem em nossa casa – Isto é doutrina falsa neopentecostal. Os pentecostais verdadeiros não ensinam esta doutrina. Vemos a evidência desta verdade em I João 5:18: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca”.

    4) Já não há condenação – Romanos 8:1 – “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”.

    5) Já não há acusação – Romanos 8:33 – “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus”?

    6) Já não há mais maldição – Gálatas 3:13 – “Cristo nos resgatou da maldição da Lei”.

    7) Já não há mais dívida – Colossenses 2:14 – “…e havendo riscado o escrito de dívida”.

    8) Já não há juízo – João 5:24 – “Quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entra em juízo”.

    9) Já não há sacrifício, porque o verdadeiro sacrifício já foi realizado – Hebreus 10:14 – “Porque com um único sacrifício nos aperfeiçoou para sempre”.

    10) Temos um fiador para com qualquer dívida ainda existente – Hebreus 7:22 – “De tanto melhor pacto Jesus foi feito fiador”.

    11) Temos um mediador – Hebreus 9:15 – “E por isso é mediador de um novo pacto”.

    12) E se qualquer dúvida ainda existir, temos um advogado – I João 2:1 – “Temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”.

    13) Não precisamos mais fazer prova de Deus – I Coríntios 10:9 – E não ponhamos o Senhor à prova como alguns deles o fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes.

    Se isso for heresia, então eu não saberei o que é o evangelho.
    Pensem nisto, mais a luz do evangelho.

  13. já eu creio que o dizimo e retirado do bruto, porque si eu ganho 1000 real
    os 1000 real e o meu ganho do meu trabalho e si descontam e para o meu beneficio INSS, vale transporte, vale refeição tudo isto esta no 1000 real que ganho
    mensalmente, a igreja cicera ela tem muito gasto aguá, luz, imposto, compra de material, abertura de nova igreja,isto tudo e gasto já penso si a igreja não tivesse dizimista nem ofertante, como ela viveria si um pastor esta o dia todo fazendo culto
    de manha, tarde, e noite, como este pastor viveria, e muito fácil dizer mais só Deus
    sabe o que aquele pastor passa, meu pastor já disse que a igreja que eu frequento só esta aberta por causa dos membro, porque devemos questiona si devemos da o dizimo si e mandamento não só melhor que ninguém, nem quero ser
    mais e através do dizimo que eu tenho sido abençoado eu e minha família cura, e libertação, meu filho que foi enganado pelo os medico mais Deus trouxe ele de volta, agora por que toda esta bença porque o meu dizimo e entregue com amor, temor, respeito e temor a palavra de Deus então Deus abençoa, transforma, cura, liberta, e prospera aquele que precisa se abençoado, faça uma prova com Deus naquilo que você esta enfrentando e não esta conseguindo resolve ponha esta causa de joelho perante o nosso senhor Jesus cristo, si humilhe perante ao Deus vivo e aguarde a resposta confiando que Deus já OUVIU o seu clamor, Deus e
    amor, lindo, e maravilhoso, ele fara de tudo par lhe conquista creia, acredite busque a Deus de fato e de verdade só depende de você meu irmão creia nesse Deus vivo e verdadeiro, não de ouvido a terceiro não, porque o inimigo de Deus vai fazer de tudo para tenta lhe engana mais si você prostra-si a Deus e da ouvido só
    a Deus ele vai ti abençoa em todo seus aspecto da sua vida agora e com você
    você ver que a questão era sobre o dizimo, repentemente Deus mudo tudo para que esta mensagem chegasse ate você veja o verdadeiro amor de Deus com você
    eu agradeço a meu Deus vivo em o nome do nosso senhor Jesus cristo.

  14. Caro Irmão Judsom
    Ficaria muito grato se expressasse sua opinião sobre o comentário do irmão Jose Souza, pois existe uma coesão de pensamentos entre nós! Não vislumbro na Nova Aliança, lugar para dízimo na Igreja do Senhor nem tão pouco templos e denominações!

    Caro Eudo, não sei se você leu o artigo “Novas considerações sobre o dízimo” (ver link no fim da postagem), onde faço alguns esclarecimentos. De qualquer forma, estou preparando um material mais extenso sobre o assunto.

  15. Caro Irmão Judsom
    Agradeço sua atenção para comigo! Li seu artigo sim onde concordo com sua afirmação: ” Porque a verdadeira contribuição cristã é aquela que é feita “com alegria” (2Co 9.7). Essa é a regra.”. Porém, acrescento os versículos 8,9 e 10 como complemento.
    8 E Deus é poderoso para fazer que toda a graça lhes seja acrescentada, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra.

    9 Como está escrito: “Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre”.

    10 Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça.

    As contribuições generosas com despreendimento, era em socorro dos irmãos necessitados….não para sustento de templos luxuosos e pagamento de salário de sacerdotes.
    Aguardarei seu texto, pois tenho minhas convicções, mas sempre procuro examinar as questões por todos os pontos de vistas a Luz da Palavra!
    Obrigado pela atenção!

    Concordo, Eudo. Todas as contribuições que vemos nas igrejas do Novo Testamento têm o objetivo de suprir as necessidades de alguém. É certo que os templos hoje precisam de manutenção (uma necessidade), mas nada justifica o luxo e outros gastos supérfluos, como as festas de departamentos e alguns salários abusivos.

  16. Irmãos estou vendo aqui muita sinceridade de vocês, porém quero que os amados irmãos me expliquem uma coisa: Eu não sou dizimista fiel eu tento dar o dízimo todo mês porém não consigo devido a vários fatores os quais não vou pormenorizar agora. Sou da A.D na PB e eu sinto que como eu não tenho sido fiel nos dízimos as coisas não estão indo bem. Eu tenho passado apertos; não tenho passado necessidade de pão, porém não tenho prosperado, a minha vida está cheia de dívidas estou no S.P.C e SERASA. Eu ganho 2815 brutos e 2500 líquidos, porém com os empréstimos estou tirando 1700 o que não dá para pagar todas as despesas da família que seria em torno de 2000 pois tenho 2 filhas na escola elas são pequenas 3 e 5 anos dou pensão de uma que já tem 17 anos porém ela se casou agora pouco e estou pretendendo suspender em abril de 2013 essa pensão.
    amados a minha dúvida é essa: eu devo dar o dízimo do bruto de 2815; do liquido de 2.500 ou de 1700 que vem descontado o empréstimo eu estou em maldição ? eu sonho com ratos dentro da minha casa e fico pensando que estou roubando a Deus e que o rato é um tipo de devorador. Outra coisa as pessoa me roubam eu sempre compro o mais caro os vendedores conseguem me enganar o que é isso? dos meus pecados eu já me arrependi e confessei eu quero que os irmão me digam se não é o que está escrito em Malaquias e deuteronômio 28 ?

    Deivison, seus questionamentos exigem uma resposta mais demorada. Acho que se justifica até uma postagem especial. Se você concordar posso fazer isso.

  17. Caro Deivison
    Vc já tem o principal que é sua Fé! O que te falta meu amado, com sua permissão, é administrar melhor suas finanças! Empréstimos, parecem ótimos, quando estamos meio apertados, porém duram longos meses, comprometendo e reduzindo nossos salários! O Deus que servimos, quando referiu-se por intermédio de Malaquias, que estava sendo roubado, referia-se aos sacerdotes que desviavam as ofertas (já naquela época). Dizimo não pertence a Igreja do Senhor Jesus, não se deixe enganar! Infelizmente , por desconhecimento da Palavra, e da vontade de Deus nos deixamos enganar por homens que fazem da fé meio vida e não vivem para a fé! Usam Malaquias para enganar, admoestar, oprimir e mesmo aterrorizar os irmão que ainda acreditam que o dízimo deva ser praticado. Procure no google: DÍZIMO – O ENGANO CAVALGANDO A VERDADE

  18. Eu penso que não devo tirar o dízimo do INSS pois e um dinheiro que estou guardando com o governo e que quando eu aposentar conserteza não deixarei de ser fiel e com a minha aposentadoria que contribui a com a minha vida de trabalho irei devolver ao Senhor dono do ouro e da prata. Amém

  19. marcos,gostei muito dos comentarios feito pelos irmãos,a semana passada tivemos muitas duvidas sobre este mesmo asunto,e coloquei o exemplo de cain e abel o primeiro não foi aceito,porem o de abel foi aceito;e porque só o de abel foi aceito,por que ele escolheu dá o melho para o senhor e de coração.deus não estar preoculpado com quantidade mas sim com a qualidade.

  20. leiam a biblia sem as lentes de denominações e veram que o dizimo é uma das piores fraudes da igreja.

  21. ” a paz do senhor,e maravilhoso o questionamento tão polêmico acerca do assunto.gostaria de saber se e correto’ algo’,que me inquieta na minha igreja,ex;estou 8 meses sem trabalhar já busquei trabalho,na minha área e ate agora não conseguir,já fui até ajd.de pedreiro mas não deu certo para mim a idade já não permite.está passando uma crise a mineração aonde vivo.por isso não estou,trabalhando.( e agora no final do ano quando são separados as pessoas para cargos na igreja como obreiros etc; não fui cotado por não está dizimando,eu confesso não fiquei triste,porque tenho a minha fé firme no senhor ‘já temos
    alguns janeiro com Jesus, mas me deixou boquiaberto a situação.quero lembrar que sempre dizimamos e ofertamos,gloria Deus com alegria.”

  22. Vejo que as pessoas confundem muito o dizimo com esmola. Esmola é pra ajudar os pobres e o dízimo é pra manutenção da Igreja. Fico observando algumas críticas e parece que as pessoas querem que as contas da Igreja sejam pagas magicamente, os salários de pastores caiam do céu e os templos se construam sozinhos. O problema é que as pessoas não veem o dízimo como ato de adoração, de entrega. Faz parte do estilo de vida de um adorador..

  23. com todo amor e respeito, meu irmão, se é que me permitas chama lo assim, o problema esta, é em você ler a sua bíblia com os olhos da denominação, e quando assim fazemos ela diz exactamente aquilo que os profissionais do meio evangélico querem que creiamos. Construções de templos. dízimos, salários para pastores? leia a biblia apartir de jesus, e sem as lentes da denominação, e percebera que estes temas que apresentaste pertence aos profissionais do meio evangelico, mais nunca ao evangelho puro simples e sem negociatas. paz, nele.

  24. Ok, Não usemos então o termo salário para pastores, apesar de não achá-lo errado. Usemos o termo “honorário”, pois deriva da palavra honra. Quando a igreja honra o seu pastor com um honorário financeiro que abençoa a sua vida e de sua família, e que satisfaz as suas necessidades, cumpre o dever bíblico de honrar os servos enviados por Deus. Paulo ensina a dar “dobrados honorários” aos pastores (presbíteros) que presidem bem. Vamos lembrar que o pastor é também um ser humano que tem necessidades, que tem contas a pagar, filhos a criar, sonhos a realizar, passeios a fazer… como qualquer um de nós! E a Igreja, através dos dízimos, deve suprir também essa carência.

  25. a Igreja, através dos dízimos, deve suprir também essa carência?
    amigo rodrigo, é por isso que sugeri que lesse os evangelhos sem as lentes da denominação, pois não ha nenhuma relação entre a igreja”dispensação da graça” com dizimo”dispensação da lei”
    A igreja segundo o evangelho não precisa sobreviver de um imposto falido sob um pretexto mentiroso. Que viva da fé e no espírito de 2co 9:7, cuja proposta é a generosidade e espontaneidade da oferta dos seus membros. Como era com Jesus e com os apóstolos. Simples assim, o problema é que as lideranças evangélicas fizeram do dizimo uma doutrina, uma obrigação, tudo por que fizeram do ministério uma profissão e hoje usam de todo e qualquer artificio para convencer as pessoas de que elas tem que pagar a DEUS, isto se chama barganhas, negociatas DEUS não vendeu em suaves prestações, nem barganhou. DEUS deu o seu filho.
    em João 19:30: E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito
    “Está Pago”—Tetelestai —“está consumado”— a divida que não podias pagar, paguei eu, o problema que não podias resolver, resolve eu.
    Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.
    Colossenses 2:14.

  26. meu prezado que a paz do Senhor esteje convosco, o quero saber e o seguinte: devo dar o dizimo do meu salario bruto ou do liquido, porque se for do bruto, quais os descontos que devo considerar! Eu tenho desconto de previdencia, de IRPF na fonte e outros como: seguro de vida, auxilio funeral, fundo de saude de meus depéndentes e emprestimos, portanto gostaria de saber se devo somente considerar os descontos oficiais como previdencia e IPRF na fonte.

    Caro Jorge, este segundo artigo, embora não contemple todos esses descontos, deve responder às suas dúvidas: http://judsoncanto.wordpress.com/2012/10/22/novas-consideracoes-sobre-o-dizimo
    Apenas ressalto que a decisão de contribuir com o dízimo é pessoal, não uma instituição à igreja. Leia este outro comentário:
    http://judsoncanto.wordpress.com/2012/02/24/licoes-biblicas-dizimos-e-ofertas
    Meu conselho é que você não se prenda muito a detalhes, porque nem mesmo as igrejas chegam a um consenso sobre isso. Contribua apenas com o que você acha que deve contribuir.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s