O mistério do açucareiro

AçucareiroNuma tarde de setembro, quando ainda morava em Jaguaruna, estranhei ver o açucareiro, que mantinha em cima da geladeira (foto), com a tampa levantada. Havia uns três dias que não usava açúcar e tinha certeza de que ele estava fechado. Sem ânimo para conjecturas, baixei a tampa e voltei ao computador, pois o trabalho costuma me preocupar bem mais que os enigmas domésticos.

Uma hora depois, voltei à cozinha e lá estava o dito cujo expondo de novo a sua doçura interior ao mundo. A ideia de a casa ser habitada por algum espírito, um pneuma brincalhão, passou-me rapidamente pela cabeça, mas não tempo suficiente para me convencer. Baixei a tampa mais uma vez e voltei ao trabalho.

Mais uma ida à cozinha, e agora a tampa erguida parecia caçoar de mim numa gargalhada muda. Pela terceira vez, empurrei-a para baixo. Mas então resolvi ficar de tocaia, a fim de resolver o mistério.

Segundos depois, a tampa começou a tremer e a ensaiar nova e autônoma abertura. E tudo foi esclarecido.

Era um pneuma, sim, mas não um espírito com vontade própria: apenas o vento que entrava pela janela e sem dificuldades empurrava de passagem a leve tampa de plástico para cima.

Aí só faltou descobrir o que eram aquelas batidas metálicas perto da minha janela de madrugada. Mudei-me para Joinville sem descobrir esse outro mistério.

Xará infeliz

Pego um livro na expectativa de uma leitura relaxante e eis que deparo com este trecho:

Erros irreversíveis

Presentinho: Páginas de ouro da oração (organizado por Sammis Reachers)

Páginas de ouro da oraçãoEste livro contém cerca de mil citações (e até uma frase minha), de autores os mais diversos da cristandade, divididas em duas partes: Frases gerais sobre a oração e Frases sobre a  importância da oração nas obras de evangelização e missões. Além disso, foram coligidos 150 esboços de sermões sobre o tema. A obra também apresenta trechos de orações de grandes nomes do cristianismo, desde os pais da igreja, como Clemente de Roma, até nomes recentes como Martin Luther King. Contém ainda uma concordância bíblica de termos relacionados com a oração, como “clamor”, “rogar”, “intercessão” e outros. Tamanho: 2,8 MB (PDF).

Download 

Aceitação

Aceitar os fatos não é desistir.

É o olhar maduro que perscruta a vida e nos convence de que o bom e o mau do passado não nos dominam.

É uma forma digna de superar o mal que nos fizeram e de contabilizar as benesses sem a tinta escorrida dos lamentos nostálgicos.

Melhor ainda, quando aceitamos os fatos adquirimos coragem para enfrentar os males de cada dia e aprendemos a desfrutar os momentos felizes como se fossem únicos.

Dessa forma, jamais seremos prisioneiros da dor nem escravos do prazer.

%d blogueiros gostam disto: