Lei de Murphy para o cristão

Por Judson Canto

Você vai para a igreja direto do trabalho. Justamente nesse dia, o pastor quer saber quem trouxe a Bíblia e que a levantem bem alto. E você ainda tem de ouvir aquelas frases cretinas: “Quem não trouxe morra de vergonha”; “Soldado não vai para a batalha sem a espada”.

Você atravessa a cidade para ouvir um pregador, só porque lhe disseram que a mensagem dele “é como uma espada”. E descobre que é assim mesmo — comprida e chata.

No dia em que o pastor resolve pegar os crentes “a laço” para dar testemunho, você, contrariando os seus hábitos, está sentado no banco da frente.

Você chega uma hora mais cedo para conseguir lugar, e a única velhinha que ficou em pé no corredor estaciona bem ao seu lado.

Quando você está duro ou só com o dinheiro da passagem, passam três diáconos com a “sacolinha” na sua frente.

Quando você está só com o dinheiro da passagem, alguém aparece fazendo campanha para a obra missionária na Índia.

Após três meses de hesitação, você finalmente resolve aproximar-se daquela garota, depois do culto. Nesse momento, o diácono ranzinza apaga a luz do templo e manda o povo embora. Ou alguém puxa você pelo braço para vender uma apostila intitulada “Sete passos para uma vida feliz”.

Quando você se senta atrás de uma criança para ter uma boa visão do púlpito, ela fica em pé no banco e passa o culto inteiro fazendo gracinhas para você — ou jogando a chupeta no chão para você juntar.

Aquele irmão com dom de revelação revelará um monte de coisas boas… para os outros crentes.

Se você for flagrado fazendo alguma coisa errada, será por uma única pessoa: o maior fofoqueiro da congregação.

Por que é que quando alguém descreve o tipo de crente que receberá um grande galardão no céu você nunca se encaixa no perfil?

O novo convertido a quem você emprestou dinheiro desviou-se.

Anúncios

4 comentários em “Lei de Murphy para o cristão

  1. Judson, me parece que esse perfil é típico de pessoas negativas. Não me assemelho a elas, mas, estão espalhadas por todo lugar, independente de religião (não gosto muito desta expressão).

    Curtir

  2. Caro Primo,

    Gostei do modo descontraído como o assunto foi abordado.
    Abraços fraternal do

    DILTON

    Curtir

  3. Boa, Judson!
    A Lei de Murphy, caso não desconfie, foi originariamente formulada para nós, cristãos. E assim que anunciada pelo autor, foi e ainda continua a ser, comprovada na minha vida diária, como prova da exatidão matemática de sua veracidade…
    Agora, cá entre nós, você já está ficando com um jeito meio “Harry Potter” de ser, com suas previsões a respeito do que acontece em nossas vidas!
    Muito boa mesmo, meu amigo e irmão!
    Em breve estarás conhecido como o “Omar Cardoso” evangélico de Curitiba…
    Abraços,
    Marcus

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s