Bíblia Dake: mudanças não estavam autorizadas

A informação veio de um brasileiro que mora na cidade de Laurel, no estado de Maryland, Estados Unidos: Moyses Pereira, que tem contrato para a tradução de um livro de Dake. Ele esteve reunido com os herdeiros de Finis Jennings Dake em março deste ano, numa localidade nos arredores de Atlanta, na Geórgia. A família Dake, que detém os direitos de publicação da polêmica Bíblia de estudo, publicada em parceria pelas editoras Atos e CPAD, garantiu, nessa reunião, que não deu autorização para as mudanças feitas na edição brasileira. É fato que a Bíblia de estudo Dake já foi traduzida para o chinês e o espanhol, e lá ninguém mudou nada, lembram eles.

Outra mudança que irritou a família Dake foi a substituição do The Plan of The Ages [O plano das eras] original (clique no nome para ver) pelo mapa O plano divino através dos séculos, inserido no final da Bíblia. Isso porque, segundo eles, o famoso mapa publicado no Brasil pela CPAD foi plagiado justamente de Dake por Lawrence Olson.

A Dake Publishing, editora da família, revelou a intenção de processar a Editora Atos, com quem assinou contrato para a publicação da Bíblia no Brasil. Já a parceria com a CPAD foi iniciativa de Gary Haynes, diretor da executivo da Atos, que aliás deveria comparecer à reunião com a família Dake, mas não apareceu. No Brasil, segundo pude apurar, Haynes também “anda sumido”. Tentei ligar para a editora, mas os números constam como inexistentes. Deixei mensagem no campo de contatos no site, mas também não recebi resposta.

Se a Atos autorizou a CPAD a fazer os cortes nas notas mais polêmicas, não se sabe, embora haja rumores de que Haynes planeja questionar a CPAD em juízo. Miriam Libório, que trabalhou na revisão da Bíblia (e que foi demitida quando começaram as críticas), declara, em e-mail trocado com este blogueiro: “Não sei dizer se houve autorização para mudar. Mas a Atos havia mandado um material já editorado [ou seja, pronto para impressão]. Só que ele foi todo alterado na forma e no conteúdo. Os originais da Atos nada têm a ver com o que foi publicado. Os cortes foram todos feitos a partir desses originais”. Contudo, se a Atos não estava autorizada a fazer mudanças, por certo não poderia autorizar a CPAD a fazê-las. Resta apenas a dúvida se a CPAD fez as mudanças de boa-fé, confiando numa permissão da Atos, ou se fez as revisões sem consultar a parceira.

E agora, como fica? Mesmo na remotíssima hipótese de o Conselho de Doutrina e a Comissão de Apologética (que exigiram a retirada da Bíblia Dake do mercado, mas não foram atendidos até agora pela direção da CPAD) virem a concordar com uma versão modificada posterior, tudo indica que a CPAD, mais cedo ou mais tarde, terá de publicar a versão sem cortes em português. Mas aí o Conselho de Doutrina e a Comissão de Apologética voltariam atrás. Complicado, não? O imbróglio, como já se convencionou chamar, continua.

[Atualização: Cortes na Bíblia Dake: a informação que faltava.]

A foto do dia da reunião: Derrick e Rhonda Germaine (netos de Finis Dake), Finis Dake Jr., Moyses Pereira e Keel Germaine (também neto de Dake)

Anúncios

19 comentários em “Bíblia Dake: mudanças não estavam autorizadas

  1. Pingback: Contestando Pr. Claudionor de Andrade sobre a Lição 2 - Reflexões sobre quase tudo!

  2. quanta bobagem,parece que estamos no sèculo 15 no período do obscurantismo.A biblia DE estudo Dake é uma bencÂo ! criticar uma obra desta é coisa de pessoas medíocres que não tem o que fazer,.lamento que a nossa cpad tenha deixado de pública-la.!

    Curtir

  3. tenho grande admiração pela biblia Dake, só que agora terei que ter mais cuidado.
    tenho uma versão da cpad e outra da atos, deixa pra mim….

    Curtir

  4. aliais para mim isso é uma briga editorial e financeira e não cristã usam da palavra de deus que é a biblia para encluir estudos para arecadar mais dinheiro para mim não é polemica mais estudo tinha que vir publicado em livros e não na biblia palavra de deus é palavra de deus modo de ganhar dinheiro é modo de ganhar dinheiro

    Curtir

  5. sou pr e fico a imagina uma biblia de financia pode uma biblia de misterio que eram sigilosos não pode ou nossas igreja volto ser igual o templo de salomão só riquesa e nada mais

    Curtir

  6. meus querido sou teologo formado comferencista estudo a biblia de vario angulos tenho varias tipo de biblia de estudo e a dake é mais uma questão se é biblia esa para ficarem em duvidas é porque o serhumano numca descubrira sobre toda a verdade e quando descuperta igual martinho lutero descubriu não cabe a nós calarmos o ser humano sendo q a cpad sabe a verdade teologos sabe a verdade porque o povo não pode sabe a verdade eu sou assembleiano e ja estudei muito sobre o mundo pré adamico para mim dake queria somente que as pessoas saibam a verdade ou sera que a cpad quer comtinuar a briga entre religião e ciência eis ai a questão

    Curtir

  7. A palavra do irmão Robson Aguiar ao irmão Paulo Ferreira foi muito elucidativa para mim quanto à mente assembleiana. Sou batista e fico muito contente em saber que há mentes assembleianas honrando o nome de evangélico. Nós, batistas, também somos tendenciosos. Sim, senhor. Nossas pregações tendem para a verdade, para a Bíblia e tudo o que dissermos não terá, Deus nos ajude, nem um tiquinho de fermento da mentira, do engano ou da dúvida e ao que é MAL chamamos MAL. Uma vez um dos nossos pastores mais velhos disse aos pastores jovens: “Não pregue dúvidas ao povo.”
    Louvo a Deus pela querida Bléia me seus bons homens e mulheres, como o irmão Robson Aguiar.

    Curtir

  8. Judson,
    a paz do Senhor

    Ainda não consegui entender a razão de tanto barulho. Afinal, o que há de errado na Bíblia Dake? O que Conselho de Doutrina e a Comissão de Apologética da Assembleia de Deus encontrou de falhas, de erros? Eles analisaram a Bíblia toda ou notaram algo que consideraram fatal à manutenção de tal Bíblia de Estudo no mercado brasileiro? Como fica quem comprou uma Dake? Pode pedir o dinheiro de volta? Processar a CPAD?

    Marcelo Hagah
    João Pessoa-PB

    Curtir

  9. Caro Pr. Robson: com todo o respeito que nos inspira o nosso Conselho de Doutrina, penso que ele não deve arrogar-se o papel de juiz ou censor. Os católicos, em 1557, atribuíram esse papel ao Santo Ofício, que publicava o famigerado Index Librorum Proibitorum. Tal prática durou até 1966. Foram mais de 400 anos de obscurantismo. Hoje se utilizam de um “Admonitum” (sem força de lei ou proibição), para advertir sobre publicações impróprias. Penso que, no tocante a publicações, está chegando a hora de repensarmos o papel do nosso Conselho de Doutrina, atribuindo-lhe tarefas mais consentâneas com esses tempos de Internet. Do contrário, condenaremos a CPAD a publicar obras de baixa qualidade, ou traduzidas, nem sempre com fidelidade. (Como dizem os italianos, “Traduttore, traditore” – O tradutor é um traidor). Fraterno abraço. Paulo Ferreira;

    Curtir

  10. Irmão Judson,

    Volto a esse conceituado blog, para me dirigir ao irmão Paulo Ferreira no tocante ao amadurecimento cultural a que se referiu o nobre irmão.

    O caso Dake se tornou escandalo entre nós, não pelo seu conteúdo divergir de nossa doutrina, e sim, pelo fato de nossa Casa Publicadora, sendo confessional tê-la respaldado.

    Quanto as obras que divergem de nossa doutrina, nós, pastores das Assembleias de Deus, temos aos montes em nossas bibliotecas. Com certeza são de grande valia. Eu, por exemplo, tenho livro publicado por autor Maçom, teológos da prosperidade e até incrédulos.

    Mas, não comprei na CPAD. É isso que defendemos. Não estamos privando ninguém da livre leitura e da análise pessoal das coisas. Só não confeccionamos materias falaciosos. Ou meias verdades.

    Somos tendenciosos em nossa pregação e ensino. Queremos que as pessoas acreditem no quem falamos e escrevemos.

    Não oferecemos mel e veneno no mesmo prato para quem não sabe discernir a mão direita da mão esquerda.

    Seguimos aquele que apresentou apenas uma verdade, um caminho. Não há dubialidade, não há meio termo. Ao menos não deveria haver se tratando de uma Casa Publicadora das Assembléias de Deus.

    Do contrário, tire-se o nome Assembleias de Deus da Casa.

    Fiquem com Deus.

    Ao querido irmão Paulo, um abraço!

    Curtir

  11. Olá, Tiago.
    Eu já havia assistido a esse vídeo. Acho que o caminho natural dos que agem assim, em qualquer denominação, não é o arrependimento, mas aos poucos ir agindo mais abertamente, sempre arranjando alguma justificativa para as suas ações, em vez de reconhecer o erro (seria um golpe muito grande no ego).
    Você me deu uma ideia para um artigo, que vou publicar em breve aqui no blog. Nele, espero responder melhor à sua pergunta.

    Curtir

  12. Existe realmente alguma diferença entre os fariseus que iravam a Jesus e grande parte (para não generalizar…uns 80%) da liderança da igreja evangélica de hoje?

    Da uma olhada nesse video:
    http://www.genizahvirtual.com/2010/06/universal-mostra-sua-cara.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Genizah+%28Genizah%29&utm_content=FaceBook

    É logico que se tratando da Igreja Universal pode não surpreender muito, mas tenho a impressão que eles (da Universal) apenas perderam a vergonha, as outras igrejas não….mas agem da mesma forma.

    Estou errado? Ou muito pessimista com os péssimos exemplos que surgem todos os dias dos nossos lideres que alcançaram a “prosperidade” (financeira) sem nenhuma outra fonte de renda além de dizimos? Coisa facil de achar em QUALQUER denominação.

    Sei que não tem nada a ver com o assunto acima, mas vi esse video e queria sua opinião…….

    Curtir

  13. Caro Judson, que bom vc ter trazido novas informações a respeito do imbróglio Dake. Fico imaginando se a Bíblia de Estudo Pentecostal, lançada com sucesso pela CPAD há alguns anos, fosse adquirida por uma editora evangélica cujo pensamento doutrinário divergisse daquele esposado por Donald Stamps e, por conta disso, mutilasse sua obra e a publicasse repleto de alterações. Falta de bom senso e de respeito com o autor seria pouco para definir o procedimento da hipotética editora. A família de Dake está coberta de razão em estar aborrecida com o episódio. Eu, na condição de simples revisora, fiquei “doente” com essa história… Mas espero sinceramente que essa novela tenha um final feliz.

    Curtir

  14. Caro Judson Canto,

    A paz do Senhor!

    Parabéns pela matéria e faro jornalístico.
    Informalmente já tinha tais informações, porem você conseguiu maiores detalhes com comprovação.

    Como um dos membros do Conselho de Doutrina da CGADB, posso te afirmar que até agora tudo está como antes, ou seja, duas resoluções sem qualquer resposta ou ação.

    Essa história só se complica a cada dia. Não existe saída, a não ser a confissão do erro e a retirada da referida bíblia do mercado.

    Lamentável1

    Um grande abraço!

    Pr. Carlos Roberto

    Curtir

  15. Caro Judson, Parabéns!

    O Pr. Moabel, residente nos Estados Unidos e amigo da família Dake, já havia por meio de telefone me informado o que o irmão publicou. Inclusive ele ficou de me enviar uma entrevista com um dos netos de Finnis Dake onde haveria essa confirmação.
    Agora, vejo que as peças se encaixam e a verdade aflora, mesmo sem a esperada entrevista.

    Cada vez mais, as coisas estão se complicando para a administração da CPAD. Mas, e como ja escreveu o Pr. Geremias, “vamos ver se a CPAD faz ouvidos de moco” ou será que a Veja ou Época terão que entrar na história para que ha ja uma explicação?

    Que Deus nos ajude.

    Curtir

  16. Caro Judson:

    Parabéns mais uma vez pelo bom jornalismo!

    Se você for ao meu blog, encontrará uma postagem em que faço algumas perguntas retóricas relacionadas à questão que você levanta.

    Já tinha ouvido esses rumores de fontes autorizadas, mas ainda faltavam algumas confirmações. Optei, então, apenas pelos questionamentos.

    Agora que o seu faro jornalístico traz à tona o problema (com foto, inclusive), aí que o imbróglio Dake toma uma dimensão bem mais grave.

    Não posso crer que a liderança da CGADB continuará a fazer ouvidos moucos ao assunto. E publicar a Dake com novos cortes, como os rumores vinham indicando, será agora passar recibo “escrito” de desonestidade.

    Sou acadêmico. Se à CPAD, como editora confessional, não lhe cabia publicar a obra, deixasse então que uma editora independente o fizesse. Seguindo a linha do amigo fraterno, Paulo Ferreira, é desonestidade intelectual mutilar o pensamento do autor.

    Vamos aguardar o próximo lance.

    Abraços!

    Curtir

  17. Fatos extremamente lamentáveis, porque parece que ninguém agiu de boa-fé. Quem resolve publicar uma Bíblia de Estudos sabe, ou deveria saber, que muitos pontos de vista do autor (no caso, Dake) poderão divergir de posições doutrinárias, o que não invalida a obra. O livre exame das Escrituras, conquistado a duras penas pela Reforma, nos ensinou a conviver com irmãos que pensam diferentemente de nós. Cabe-nos orar para que Deus ilumine as mentes de certas lideranças que não acompanharam o amadurecimento cultural dos evangélicos brasileiros.

    Curtir

  18. Judson, agora o negócio complicou. Que história mais enrolada? Vou ecoar no meu blog. As coisas na CPAD, a se confirmar estes fatos, estão piores do que imaginamos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s