Sua experiência ministerial pode virar livro

Saiu da gráfica poucos dias atrás o livro Um ministério bem-sucedido, que escrevi para o pastor João Ceno Ohlweiler, presidente da AD de Criciúma, Santa Catarina.  O livro faz parte da celebração dos 40 anos de ministério do pastor Ceno. São 11 capítulos que tratam de temas como a conversão, a vocação para o ministério, o amor ao rebanho e virtudes que o obreiro deve cultivar, como a mansidão e a humildade. Todos os temas são ilustrados com experiências do autor, o que dá à obra um tom claramente autobiográfico (você pode considerá-lo uma autobiografia dividida em temas).

Esse livro representa uma pequena vitória para mim, pois costumo insistir na ideia de que todos devemos, de alguma forma, deixar um registro escrito de nossas experiências e opiniões, de nossa visão de mundo ou pelo menos a respeito de certos assuntos. Tenho insistido principalmente com os pastores, porque muitos acumulam experiências e conhecimento durante décadas de serviço ao Senhor e morrem sem deixar ao menos um esboço de sermão. Você deve conhecer um pastor experiente que nunca escreveu nada. Estou esperançoso de que essa obra venha despertar outros crentes, líderes ou não, para essa necessidade.

Mesmo quem não tem habilidade para escrever pode produzir um livro. Um ministério bem-sucedido, por exemplo, com 180 páginas, surgiu da gravação de cinco fitas e de umas poucas páginas que resumiam a sua biografia. Mensagens gravadas, entrevistas, esboços ou qualquer outro material bruto, tudo isso pode  ser transformado em livro. No meu caso, entrego o livro impresso, assumindo todas as etapas do trabalho editorial (revisões, capa, diagramação etc.), além de escrevê-lo, é claro. O autor acompanha todo o trabalho até o fechamento. Com as novas parcerias que já estou alinhavando, penso que em breve esse trabalho fará parte de minhas atividades editoriais.

Transcrevo aqui um pequeno trecho do livro (extraído do capítulo que fala sobre o cuidado de si mesmo e da doutrina):

Em sua recomendação a Timóteo, Paulo explica que o cuidado de si mesmo e da doutrina resultará na salvação de outros. Isso implica que o zelo pela integridade pessoal não é um incentivo ao egocentrismo, mas um hábito que traz benefícios para todos. Entendo que o pastor deve cuidar de si mesmo, mas não pode deixar de zelar pela “doutrina”, ou seja, deve aplicar também todo esforço em ensiná-la e vivê-la.

Esse equilíbrio é necessário. Se o pastor cuidar apenas de si mesmo irá se transformar num líder narcisista, mais preocupado em apascentar o próprio ego que em cuidar do rebanho, o que não faz sentido. Se a sua única preocupação for manter a integridade do evangelho, negligenciando o aperfeiçoamento pessoal, o obreiro estará vulnerável às armadilhas do Inimigo.

Anúncios

2 comentários em “Sua experiência ministerial pode virar livro

  1. Será que consigo convencer meu pai a te contratar??? puxa…ele tem tantas histórias que dariam um belo livro…

    Ótima iniciativa, Judson! Parabéns!

    PS. Vc colocou um link pro twitter???? hum….rsrsrs

    Curtir

  2. Uma excelente iniciativa essa do pastor João Ceno e do autor. Infelizmente, a falta de consciência de alguns obreiros do passado e do presente, faz com que muito da nossa história se perca.

    Um grande abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s