Lições Bíblicas: “A visão do Cristo glorificado”

Lição 2 — 2.° trimestre de 2012

O assunto deste domingo é o Cristo glorificado, embora a maior parte da lição discorra sobre o Cristo na forma de homem. Mas, como justifica o autor, só entenderemos a glorificação se compreendermos a encarnação. A “Orientação pedagógica” recomenda que você destaque três expressões sobre o triunfo e a glorificação de Jesus, mas não se esqueça de pesquisar o significado delas em bons comentários bíblicos e teologias sistemáticas, porque os alunos provavelmente pedirão explicações. Esse tema também exige que você revise os seus conhecimentos de cristologia.

O Cristo encarnado

A doutrina de que o Verbo preexistente tornou-se carne (Gl 4.4) é tão importante que a própria Bíblia não faria sentido sem ela. Isso porque todo o Antigo Testamento aponta para a pessoa de Cristo e todo o Novo Testamento gira em torno de sua pessoa. A crença nessa doutrina é fundamental para se determinar, por exemplo, a autenticidade de qualquer movimento que se declare cristão (1Jo 4.1-3). O tema da encarnação também está ligado a pelo menos três doutrinas importantes: o nascimento virginal, a kenosis e a humanidade de Cristo.

No nascimento de Cristo, destaca-se o seu aspecto miraculoso (Lc 1.26-35), e a concepção milagrosa no ventre de Maria é um dos mistérios mais sublimes das Escrituras. Por ser mistério, não caia no erro de tentar explicá-la, mas você pode apontar dois extremos com relação a essa doutrina. De um lado, está o ceticismo dos teólogos liberais, que não admitem a possibilidade dos milagres e relegam tudo que a Bíblia apresenta como miraculoso ao campo das etiologias, dos símbolos, das alegorias e das lendas. Do outro lado, estão as doutrinas católicas romanas da imaculada conceição e da virgindade perpétua de Maria, que estendem o milagre para além do seu propósito. A primeira ensina que “a alma da bem-aventurada Virgem Maria, na sua criação e infusão no corpo, teve o dom da graça do Espírito Santo e foi preservada do pecado original” (bula Ineffabilis Deus, do papa Pio IX). A segunda ensina que Maria, além de não ter uma vida conjugal normal com José após o nascimento de Cristo, continuou virgem após o parto.

A doutrina da kenosis (“esvaziamento”), baseada em Filipenses 2.5-7, ensina que Cristo se esvaziou das expressões externas de sua glória, de modo a poder assumir forma humana. Há muitas teorias em torno dessa doutrina, havendo quem alegue que Cristo renunciou temporariamente aos seus atributos essenciais. Como o espaço aqui é exíguo, pesquise o assunto nas teologias sistemáticas. Penso que uma boa teoria é a de Wayne Grudem: “O próprio contexto [de Fp 2.8] interpreta esse ‘esvaziar-se’ como equivalente de ‘humilhar-se’ e assumir condição e posição inferior. […] Nesse contexto, o esva­ziamento inclui mudança de função e condição, não de atributos essenciais” (Teologia sistemática, p. 454).

A doutrina da humanidade de Cristo é bem extensa, e sugiro que você estude ou revise bem o assunto, destacando os pontos importantes para o tema da lição.

Como você deve ter percebido, esta seção abrange diversos assuntos, por isso cuide para que o tempo dispensado à sua exposição não prejudique a explanação das outras.

O Cristo humilhado e ferido de Deus

Sobre o tema desta seção, encontrei esta explicação de 1Coríntios 1.23-25 no Comentário bíblico africano (Mundo Cristão): “Havia duas razões pelas quais a mensagem da cruz era um escândalo para os judeus (1:23a). A primeira era a crença de que ‘o que for pendurado no madeiro é maldito de Deus’ (Dt 21:23). Assim sendo, a despeito de Isaías 53, os judeus não podiam imaginar um Messias sofredor. Em segundo lugar, os judeus procuravam sinais, isto é, buscavam eventos espetaculares, sobrenaturais, os quais provariam que o profeta ou mensageiro viria com o poder de Deus. Para eles, um Cristo crucificado indicava fraqueza, não poder. Buscavam um Messias que restaurasse o reino de Davi, e não alguém que morreria numa cruz (1:22; cf. tb. Mt 16:1-4). A mensagem da cruz também era loucura para os gregos por duas razões (1:23b). Primeiro, eles criam que Deus era incapaz de sentir emoção. Era portanto impossível que os humanos conseguissem, de alguma forma, influenciar Deus. Deus jamais poderia sofrer, e a simples ideia da encarnação era revoltante. Segundo, os gregos buscavam sabedoria, de modo que poderiam passar horas buscando estimulação intelectual. Para Paulo, a mensagem da cruz não é apenas sabedoria de Deus, mas também poder de Deus demonstrado nos milagres da encarnação e da ressurreição (1:24). Ela demonstra que a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens (1:25)”.

O Cristo glorificado

João encontrou o Cristo assunto ao céu (At 1.9-11), como se tudo que estivesse registrado no Novo Testamento desde a sua ascensão fosse um enorme parêntese. Estude as três doutrinas relacionadas com o Cristo glorificado (ressurreição, ascensão e segunda vinda), de modo a transmitir à classe uma boa visão do papel de Cristo em sua condição atual. A ressurreição demonstra de maneira inequívoca o seu poder para salvar e constitui a base da pregação do evangelho e de nossa fé (1Co 15.12-22). A ascensão remete ao seu ministério atual a favor dos santos (Rm 8.34). A segunda vinda vem a ser a nossa maior esperança, o estágio final da salvação, quando também receberemos um corpo glorificado (1Co 15.51-57).

Lição 3 (leia aqui).

Anúncios

11 comentários em “Lições Bíblicas: “A visão do Cristo glorificado”

  1. gostei muito de seus comentarios ainda nao tenho muito conhecimento bliblico mas espero chegar-la sempre que puder mande estudos para mim

    Curtir

  2. Gosteis da organização doutrinária exposta no texo e da simplificação que converge na acessibilidade de todos quantos amam a palavra,á sua compreenção.

    Curtir

  3. Amado estou como professor adjunto na classe de Jovens e Adultos na Assembléia de Deus em Recife,estou estudando a lição e espero aprender muito com esses estudos ao qual o senhor coloca para nós,que Deus continue lhe abençoado!Rafael Siqueira!

    Curtir

  4. Por ser um tema de suma importancia neste século presente,gostei muito do comentario,na minha opinião esta revista precisa ser ministrada minuciosamente com mais detalhes; EX; Na divisão do Apocalípse traz uma listagem dos acontecimentos,a meu ver cada ponto da divisão teria que ser uma lição,mesmo q levasse um ano ou mais tempo teria que ser ministrada,por que o assunto Apocalípse traz terror para a maioria do povo cristão por ser complexo a sua compreensão e muitos não gostam nem de ler.

    Curtir

  5. Que Deus continue lhe usando como um instrumento de auxílio para outros. Muito bom o post. Objetivo, mas consistente. Parabéns!

    Curtir

  6. Objetivo e esclarecedor, sou professora iniciante e estou muito feliz por ter encontrado este blog que eu tenho certeza que foi neste assunto e será nos proximos de grande ajuda.
    Fique na paz de Cristo irmão!

    Curtir

  7. GOSTEI MUITO DESTA EXPLANAÇÃO ABRIU MAIS O MEU ENTENDIMENTO
    SOBRE CRISTOLOGIA.

    Curtir

  8. Amigo, parabéns pela sua explanação da lição: A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO. Gostei bastante, inclusive sugerindo outros artigos para pesquisa, ex. Wayne Grudem. Gosto muito do livro desse autor. Deus abençõe, e continue nos ajudando.
    abraços seu irmão em Cristo Alison Diniz
    Muito grato pelo incentivo, Alison.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s