Lições Bíblicas: “A despensa vazia”

Lição 6 — 3.° trimestre de 2012

Não há dúvida de que muitos crentes já foram assombrados pelo fantasma da despensa vazia. Os imprevistos, o desemprego e o acúmulo de dívidas podem esvaziar os armários e a geladeira de maneira repentina ou gradativa. Nesta lição, o autor concentra-se mais na provisão divina e no dever cristão de ajudar os necessitados, mas penso que seria interessante discutir também o problema em si. Algumas questões são pertinentes. Por que existem crentes (muito) pobres? De que forma a escassez material pode afetar a vida cristã? Como discernir a provação/ disciplina aplicada por Deus das consequências de nossos atos impensados? E assim por diante.

Lutando contra o imprevisto

Os imprevistos acontecem. Uma pessoa em boa situação financeira pode perder o emprego e em poucos meses passar da tranquilidade ao desespero. As altas despesas mensais com financiamentos, escola particular e outros itens que tornam a vida mais confortável ficam a descoberto quando a principal fonte de renda da família é interrompida. As dívidas se acumulam, e a tensão se estabelece na família. A família cristã, em tese, deveria enfrentar a situação com fé e se tornar ainda mais unida, porém nem sempre é o que acontece.

Diante de uma situação assim, devemos refletir sobre o motivo. Por que perdi o emprego? Foi por causa de meu mau comportamento? (Leia 1Pe 4.15). Foi porque tentei ser correto no meio dos corruptos? (Leia Mt 5.10). Foi por causa da minha fé? (Leia Mt 5.11; 1Pe 4.16). Esses questionamentos permitem discernir se preciso de arrependimento, de confiança na provisão de Deus ou de paciência para o enfrentamento da provação. Procure exemplos de cada caso e de como eles foram solucionados com a ajuda de Deus.

A escassez material também pode ser causada por uma catástrofe natural, como uma enchente, por uma doença que demande vultosas despesas médicas. Conheci um homem que teve de vender a própria casa para pagar o advogado de um filho condenado por tráfico. Há também o caso de famílias que são sempre pobres. Talvez aí a solução seja mais um caso de atitude que de fé; a ajuda cristã, mesmo recomendada, pode levar ao conformismo. A caridade deve ser generosa, não tola (leia 1Tm 5.9-13).

Deus age com o que você tem

Nem sempre um profeta aparecerá na sua porta com um milagre no bolso. O caminho da recuperação pode ser longo e trabalhoso, mas Deus por certo irá usar algo que está ao nosso alcance para resolver o problema. Costumo dizer que mais importante que ter um emprego é ter um trabalho. O emprego pode ser tirado de você. O trabalho, ou seja, aquela habilidade que você desenvolveu, estará sempre ao seu dispor (leia Pv 22.29; Ec 9.10).

Deus pode usar a família para socorrê-lo nos momentos de necessidade. Jó recuperou a sua fortuna em parte com a ajuda dos parentes (Jó 42.11). A igreja hoje não tem o senso de comunidade do tempo dos apóstolos, mas Deus pode usar a liderança ou os irmãos de sua congregação para auxiliá-lo nisso. É recomendável que nos tempos de “vacas gordas” você também seja voluntário para ajudar os mais necessitados.

Providência divina

Toda ajuda que você recebe pode ser um ato da providência divina, porque Deus trabalha de várias maneiras. Contudo, vale lembrar que o desastre financeiro muitas vezes é resultado de má administração dos recursos: uso descontrolado do cartão de crédito; gastos exagerados com supérfluos; financiamentos e  prestações em valores que comprometem o orçamento doméstico; ostentar uma vida de luxo (às vezes apenas com a intenção de impressionar os outros) que não pode ser mantida pelo seu contracheque. E por aí vai. Deus não irá honrar a nossa sandice, exceto, talvez, para proteger as vítimas inocentes de nossos desmandos. Mesmo assim, não é algo com que devemos contar.

Nesta seção, você pode relatar à classe alguns milagres atuais da providência divina, quem sabe até algo de sua experiência. Incentive também os alunos a relatar fatos desse tipo.

Não deixe de lembra a classe de que o infortúnio às vezes faz parte do plano de Deus, e ele nos recompensará mais tarde. A história de José do Egito demonstra isso (Gn 37—50). Ele foi vendido como escravo pelos próprios irmãos e foi preso injustamente, mas por fim Deus honrou a integridade do jovem. Isso também pode acontecer na vida cristã, mesmo em menor escala.

Lição 7 (leia aqui).

Anúncios

Um comentário em “Lições Bíblicas: “A despensa vazia”

  1. Bons comentários e sugestões Judson! Nesse domingo serei o professor e já estava (e estou) preocupado como abordar de forma prática essa lição. Como você bem comentou, é necessário ampliar os horizontes de pensamentos sobre essa questão.

    Um grande abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s