Lições Bíblicas: “Um homem de Deus em depressão”

Lição 5 — 1.° trimestre de 2013

Esta lição trata de um assunto com o qual estou familiarizado: depressão. No início do ano passado, tive uma crise que me deixou durante semanas incapacitado de fazer o meu trabalho. Nesse período, a minha atenção, se é que posso dizer assim, concentrou-se no teto do quarto e na parede da sala. Problemas antigos e novos e abuso de minha capacidade física e mental, por conta de expedientes de trabalho que se estendiam muito além do recomendável, resultaram numa condição da qual em outras ocasiões eu tivera apenas um vislumbre. Até hoje ainda não me recuperei totalmente, mas o pior já passou. Se você nunca esteve deprimido, pesquise um pouco sobre essa doença, como sugere a “Orientação pedagógica”. Analise o comportamento de Elias à luz dessa informação. Mas o importante é ressaltar que Deus tem uma solução para tudo, até para a depressão.

Elias, um homem como os outros

Se você foi criado ou pertence há muito tempo à Assembleia de Deus deve estar ciente de que pertencemos a um grupo religioso que tende a espiritualizar tudo. Quando eu era criança, ficava impressionado com o nível espiritual que os mais velhos alegavam ter atingido ou entendiam como necessário à salvação. Também me sentia aflito, pois nada indicava que eu um dia fosse capaz de tamanha devoção. Mas com o passar do tempo fui percebendo que havia certa distância — em alguns casos, bem significativa — entre o discurso e a prática daqueles irmãos e parentes.

Jesus era humano e divino, e humanidade e divindade também convivem no crente. A diferença é que Jesus foi perfeito em ambas as dimensões, enquanto nós somos imperfeitos. Recebemos a natureza divina (2Pe 1.4), mas não podemos esquecer de que somos humanos. Somos humanos, mas não podemos esquecer de temos a natureza divina. Não podemos usar a desculpa de que somos humanos para justificar as nossas falhas espirituais. Também é perigoso pensar que a nossa alegada devoção nos irá isentar das limitações humanas. Paulo dizia: “Sou carnal, vendido sob o pecado” (Rm 7.14), mas também declarou: “Sede meus imitadores, como também eu, de Cristo” (1Co 12.1), sinal de que ele, sem falsa modéstia, estava consciente de sua espiritualidade. O apóstolo estava sempre atento a esses dois aspectos, a fim de mantê-los equilibrados.

As causas dos conflitos de Elias

Uma coisa que aprendi com a depressão é que ela resulta de um processo. É comum imaginarmos que um determinado incidente nos levou à depressão. Por exemplo, a perda do emprego. Mas sempre por trás de um episódio desse tipo existe algo mais: insegurança, estresse, relacionamento ruim com os colegas e mesmo problemas que não estão ligados diretamente ao trabalho, como a vida conjugal ou a impossibilidade de realizar um sonho qualquer. Numa rápida conversa com o psicólogo, ele confirmou o que eu já imaginava: o incidente que nos leva à depressão funciona como um gatilho ou como a gota d’água que fez o copo transbordar, mas na verdade já havia muita coisa acumulada. No meu caso, o “gatilho” foi incidente trivial, embora desagradável, mas que em outras circunstâncias não teriam exercido praticamente nenhum efeito sobre mim. Contudo, virou uma obsessão, e acabei estragando em definitivo, acho, um ótimo relacionamento com uma pessoa (escrevi sobre isso aqui).

O “gatilho” da depressão de Elias foi a frustração de ver que os seus esforços deram em nada. Ele obteve uma vitória espetacular sobre os falsos profetas de Baal e Aserá, mas ninguém dentre o povo moveu um dedo para mudar os velhos hábitos. Não temos muitas informações do ministério de Elias, pois ele surge nas páginas da Bíblia de maneira misteriosa (1Rs 17.1). Mas a indolência do povo e o paganismo da família real por certo o incomodavam havia muito tempo. É impossível ignorar a importância histórica do momento em que ele desafiou os profetas pagãos. É como se ele aplicasse todas as energias e esperanças que lhe restavam ali. A ausência de resultados foi a gota d’água que fez transbordar a sua decepção.

As consequências do conflito

Fuga e isolamento. O deprimido tende a se isolar. É como se nada mais no mundo combine com ele. É um momento perigoso, quando os piores pensamentos vêm à mente. Foi por isso que Deus tratou de tiro profeta da caverna em que este se isolara. Eu já tinha a tendência de me isolar, mas ainda assim perdi o interesse por tudo que eu apreciava. Essa é a hora de procurar ajuda. Foi por isso que Deus logo providenciou ao profeta a companhia de Eliseu (1Rs 16.16,19). Eu tentei me abrir com alguma pessoas da família, mas recebi em troca chacotas e desconfiança, o que é compreensível, pois a situação era nova e muito estranha. Consegui apoio de fora, de pessoas que Deus pôs na minha vida sem que eu as procurasse, principalmente um pastor de Santa Catarina, que me deu um apoio excepcional (vou revelar essa experiência e o nome dele em outra ocasião). Se você souber ou perceber que algum aluno está deprimido, não deixe de lhe dar atenção. Uma ausência prolongada da classe pode ser alguém que resolveu se isolar.

Autopiedade e desejo de morrer. Sentir pena de si mesmo leva o deprimido a criar expectativa de compreensão por parte das pessoas à sua volta. No meu caso, como já disse, foi mais uma frustração. E isso só contribui para piorar as coisas. Já o desejo de morrer não é a mesma coisa que planejar o suicídio. Durante a pior fase de minha depressão, desejei muito morrer (escrevo sobre isso aqui), mas não fiz planos de me suicidar. No entanto, a depressão costuma ser uma via rápida para o suicídio. E o crente, um ser humano, também pode chegar ao ponto de tirar a própria vida, não vamos nos iludir. (Não creio que o crente suicida esteja automaticamente condenado ao inferno, mas não há espaço para essa discussão aqui.)

Socorro divino

Provisão física. É preciso muito discernimento para distinguir um problema espiritual de um problema somático no caso da depressão. No ambiente da AD, a tendência é primeiro vincular o estado mental da pessoa à alguma ação dos espíritos malignos para só depois considerar a outra possibilidade. Creio que aqui essa ordem deve ser invertida. Esgotados os recursos humanos, então sim é hora de verificar se a fonte do problema é espiritual. Um simples medicamento pode ser a solução.

Provisão espiritual. Em depressão, você questiona tudo, e a sua fé não está livre desse escrutínio. No meu caso, não corri o risco de abandonar o Caminho, mas comecei a considerar a vida cristã de perspectivas que me deixaram ainda mais inquieto. Mas creio que consegui tirar de tudo isso lições que me serão úteis pelo resto da vida (veja aqui uma delas). Nem todos os estragos eu vou conseguir consertar, mas Deus me deu outra vez motivação para um recomeço.

Lição 6 (leia aqui).

BIBLIOGRAFIA: Alexander, David & Pat. O mundo da Bíblia. Tradução de José 
Raimundo Vidigal. São Paulo: Paulinas, 1986. * Bíblia. Português. Bíblia de estudo 
NVI. Nova versão internacional. Org. por Kenneth BARKER. Tradução de Gordon Chown 
(notas). São Paulo: Vida, 2003. * Gonçalves, José. Porção dobrada. Rio de Janeiro: 
CPAD, 2012. * Radmacher et alii (Org.). O novo comentário bíblico: Antigo 
Testamento. Tradução de Bruno Destefani et alii. Reimpr. Rio de Janeiro: Central 
Gospel, 2010. * Richards, Lawrence. Comentário bíblico do professor. Tradução de 
Valdemar Kroker & Haroldo Janzen. São Paulo: Vida, 2004.
Anúncios

2 comentários em “Lições Bíblicas: “Um homem de Deus em depressão”

  1. A paz do Senhor meu amado, muito boa a sua postagem, as argumentações saem mais sublimes quando saem da alma, ou quando são sentidas na pele. Sobre tudo isso fica o “velho” conselho do mestre: “no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo”; a depressão está inserida também nas aflições, mas ele nos ensina, tende bom ânimo. Que Deus o abençoe e limpe da sua vida todos os resíduos da dor. Fica na paz.

    Muito grato, Israel.

    Curtir

  2. Gostei bastante do que vc escreveu, infelizmente a ajuda externa embora bem vinda em um momento depressivo, nem sempre chega até nós no momento em que precisamos. Questionar de como está a nossa fé é algo comum, mas na depressão somos tendenciosos, e só conseguimos ver o lado negativo das coisas. Mas agradeço à Deus, por Ele continuar restaurando a sua vida, Que o amor de Deus seja o seu Porto Seguro.
    Tenha um dia abençoado por Deus!

    O meu dia já foi abençoado com as suas palalvras, Seriam. Obrigado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s