Lições Bíblicas: “O exemplo pessoal na educação dos filhos”

Lição 6 — 4.° trimestre de 2013

Como introdução, sugiro que você leia o comentário que fiz da lição 8 do 2.° trimestre deste ano: Educação cristã, responsabilidade dos pais.

A importância dos limites

Sobre a questão dos limites, convém lembrar a questão das palmadas, já discutida em outros comentários. Vamos relembrar: “É uma boa ocasião para discutir a ‘lei das palmadas’ que aguarda aprovação no Senado (informe-se aqui aqui). Note que essas matérias usam termos como ‘proteção’ e ‘agressão’ (à criança). O primeiro para justificar a proibição, o segundo para condenar esse tipo de castigo. Note que a ONU está envolvida, o que significa ser parte da recente luta para extinguir a moral judaico-cristã, a mesma luta para subjugar as massas à ditadura do politicamente ‘correto’, que não disfarça o ataque à fé cristã, principalmente (leia aqui e aqui)”.

Um importante complemento à questão dos limites da criança é esta matéria sobre as crianças da Suécia, país que incorporou ao seu código penal proibição das punições físicas a crianças, publicada recentemente: Após proibir palmadas, Suécia “sofre” com geração de crianças mimadas. 

Ensinando através do exemplo (valores)

Um dos princípios da liderança é dar o exemplo. Será de muito pouco proveito instruir os filhos na Palavra de Deus e discipliná-los conforme recomendam as Escrituras se os pais não derem exemplo de cristão. Os pais devem viver dignamente, de acordo com o que ensinam. É desastrosa para o lar — ou para qualquer instituição — a velha máxima: ‘Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço’. Pais que não dão o exemplo perdem o respeito dos filhos. E a insistência na disciplina sem uma vida condizente causará apenas revolta. Os pais devem ser capazes de dizer como Paulo: ‘Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam’ (Fp 3.17; cf. 1Co 11.1)” (Ensinai: Curso de Teologia Ministerial).

Educação integral

Diferença entre sabedoria e entendimento (“conhecimento”, na ARC): “A sabedoria é um sistema ético orgânico, sem indicadores racionais ou linhas direcionais no mundo natural. A única maneira de adquiri-la é aceitá-la como um todo. O entendimento, no entanto, é um processo dedutivo e racional: dos dados externos a mente constrói um modelo da verdade. Seu ‘início’, portanto, está na experiência, em várias formas de conhecimento e observação sobre as quais se pode trabalhar ‘com todos os seus talentos’, todos os recursos do mundo e com todas as suas ciências as quais você estudou. A sabedoria, no entanto, não tem ‘início’ fora dela: ela não pode ser alcançada com base em alguma percepção anterior. Ela é a sua propria base. Seu ‘início’ é aceitar os principios da ética de D’us” (rabi Malbim).

Obs.: Disponibilizei para download alguns comentários de Provérbios e Eclesiastes (clique aqui para baixar).

Lição 7 (leia aqui).

BIBLIOGRAFIA. Ensinai: Curso de Teologia Ministerial. Família cristã. Coordenação 
editorial de Judson Canto. 3. ed. Curitiba: AEIEADC, 2010. * Gonçalves, José. 
Sábios conselhos para um viver vitorioso. Rio de Janeiro: CPAD, 2013 * Wasserman, 
Adolpho (Comp. e trad.). O livro dos Provérbios. São Paulo: Maayanot, 1998.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s