Naum e a paciência de Deus

Do artigo: Lições Bíblicas: “Naum — o limite da tolerância divina”

Da mesma forma que reclamam da longanimidade de Deus, os chorões arrogantes que mencionei em BO contra Deus criticam a sua justiça, principalmente os casos em que ele ordenou  ou executou a destruição de povos na Bíblia (leia Gn 19; Dt 7.2; Dt 13.20). Mas Deus punia justamente a maldade desses povos (leia Gn 15.16; 18.20). Se crianças ou pessoas “inocentes” (leia Rm 3.12) morriam nessas ocasiões, é porque no plano de Deus isso era necessário. Raciocínio simplista, eu sei, mas quem crê em Deus tem menos dificuldade para aceitar as ações dele que nos parecem incompreensíveis. Os ateus e inimigos do evangelho é que não têm facilidade para entender nada (leia 2Co 4.4).

Além disso, Deus é o dono da vida, o supremo Oleiro que tem todo o poder sobre o barro. O ser humano, criatura decaída, quer ter senso de propriedade, mas não admite que o Criador de tudo tenha autonomia para fazer o quiser com a sua obra (leia Is 45.9). A mesma Bíblia usada para acusar a Deus de injustiça mostra de várias maneiras que ele é justo e que mais cedo ou mais tarde irá julgar com absoluta justiça todas as coisas.

A verdade inegável é que Deus é longânimo, misericordioso e justo. Quem peca é o ser humano, não Deus. O mal que Deus permite no mundo não é descaso, é paciente espera por arrependimento (2Pe 3.9). A cidade de Nínive é um exemplo dessas duas virtudes divinas. No tempo de Jonas, ele se mostrou misericordioso para com o povo da cidade dando-lhes a chance de se arrepender, que eles aproveitaram. Cerca de cem anos depois, entretanto, foi anunciada a destruição definitiva da cidade pelo profeta Naum. Os pecados dos ninivitas das gerações seguintes culminaram na execução do juízo divino. Deus, como sempre, fez justiça.

Chegará também o tempo do limite de tolerância para o mundo e do juízo definitivo de Deus sobre todas as causas. A história de Nínive ilustra muito bem essa verdade.

Anúncios

Um comentário em “Naum e a paciência de Deus

  1. É o que eu digo para algumas pessoas que dizem que a bíblia é sanguinária: “Ela conta a história da humanidade!”
    Interessante a forma com Gênesis começa… “No princípio” se refere a quê, propriamente? Creio que é o princípio dessa história, a história de toda a era humana e não o princípio de “todas as coisas”. Você acha que sou herege por pensar assim?

    Claro que não, Adeliny. Também creio que o “princípio” começou a marcar o tempo e a história do Universo e da humanidade. O que existia antes disso não se sabe, mas existia toda uma eternidade antes do “princípio” e por certo havia outras coisas além de Deus antes do Gênesis. Para mim, você está certíssima. E, mesmo que esteja errada (eu também estaria), é apenas uma conjectura que em nada desmerece a Palavra de Deus. Heresia é outra coisa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s