Lições Bíblicas: “O ministério de mestre ou doutor”

Lição 10 — 2.° trimestre de 2014

Não se esqueça, professor, de que esta lição diz respeito ao trabalho que você faz na igreja. O termo “doutor” às vezes assusta um pouco, mas toda pessoa vocacionada para o ministério de ensino e dedicada ao estudo da Palavra se encaixa nessa categoria. Não importa se a sua classe é humilde. O Mestre dos mestres concentrou o conteúdo mais sublime de seus ensinamentos a um grupo de doze alunos. Uma única pessoa que você instrua corretamente já vale o esforço (se não acredita, leia aqui). E talvez não lhe tenham dito isto muitas vezes, mas, como temos aprendido em todo o trimestre, você é um presente de Deus para a igreja. Compartilhe com os seus alunos o amor que você tem por esse ministério.

Jesus, o mestre por excelência

“A palavra de Cristo é o oposto da palavra dos homens. A rocha é o oposto da areia. A vida é o oposto da morte. São estas as alternativas que Cristo apresentou. Quando as multidões ouviram nosso Senhor falar, maravilharam-se de seu ensino, pois ele rejeitou as tradições humanas e apresentou com autoridade a palavra de Deus, exigindo que as pessoas se submetessem a ela. Nenhum rabino jamais iniciou qualquer doutrina baseado em sua própria autoridade. Eles buscavam os antigos rabinos para citá-los e dar autoridade às suas palavras. Mas o Senhor falou com sua própria autoridade, porque era o Filho de Deus, e conhecia o caminho de acesso à presença divina. Ele tinha o direito de revelar aos homens esse caminho, e disse que não se chega lá pelas obras, mas pela fé. Ele é a rocha dos séculos. Ele é o único fundamento, ‘porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo’ [1Co 3.11]” (J. Dwight Pentecost).

O ensino das Escrituras na igreja do primeiro século

“Durante seu ministério terreno, Jesus ensinou com autoridade e ‘não como os mestres da lei’ (Mc 1.22 – NVI). Antes de subir ao céu ele delegou essa autoridade aos apóstolos, que falavam em seu nome. Repare o sentido duplo do termo ensino. De modo amplo, a palavra se refere às boas-novas de tudo quanto Jesus disse e fez. E intensivamente, os apóstolos se achavam envolvidos na obra de ensinar um evangelho oral aos convertidos, a quem Lucas chama de discípulos (aprendizes) em Atos. Deduzimos que esse ensino era conduzido especialmente nos cultos públicos, onde os apóstolos ensinavam esse evangelho em suas pregações” (Simon J. Kistemaker).

A importância do dom ministerial de mestre

“É frequentemente notado que os papéis de pastor e mestre parecem ter muito em comum no Novo Testamento. Realmente, quando Paulo menciona os dois dons à Igreja, em Efésios 4.11, a expressão grega ‘pastores e mestres’ (poimenas kai didaskalous) pode significar alguém que cumpre as duas funções: um ‘pastor-mestre’. Embora ‘mestre’ seja mencionado em outros textos separadamente de ‘pastor’ (Tg 3.1, por exemplo), o que indica que talvez nem sempre sejam considerados papéis sinônimos, qualquer pastor autêntico levará a sério a obrigação de ensinar o rebanho de Deus” (Michael L. Dusing).

Leia ainda o artigo: Mestre também é dom.

Lição 11 (leia aqui).

BIBLIOGRAFIA. Dusing, Michael L. A igreja do Novo Testamento. In: Horton, 
Stanley M. (Org.). Teologia sistemática: uma perspectiva pentecostal. Tradução 
de Gordon Chown. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. * Kistemaker, Simon J. Exposição 
de Atos dos Apóstolos. São Paulo: Cultura Cristã, 2003, v. 1 (Comentário do 
Novo Testamento) * Pentecost, J. Dwight. O Sermão da Montanha. Miami: Vida, 
1984.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s