Lições Bíblicas: “Gerados pela palavra da verdade”

Lição 4 — 3.° trimestre de 2014

Atente para o fato de que a lição desta semana está um pouco fragmentada. A seção “A relação entre os pobres e os ricos da igreja” comenta os versículos 9-11, inseridos na questão da sabedoria humilde, assunto da semana passada. As duas seções seguintes, baseadas nos versículos 16-18, ressaltam temas distintos e foram extraídos contexto original sobre a tentação, que foi o assunto da lição 2. O autor reúne tudo sob um novo tema, a geração pela palavra da verdade, que deveria fazer a “liga” entre uma seção e outra, mas não faz. Ou eu não entendi a proposta, ou a lição está confusa: uma sequência de assuntos tratados sem a devida transição sob um título cuja abrangência não é explorada e com base em textos que se encaixariam melhor em outros temas. O maior desafio do professor será fazer uma transição convincente de um tema para o outro sem perder a correspondência com o tema principal.

A relação entre os pobres e os ricos da igreja (Tg 1.9-11)

Henri Daniel-Ropes explica a relação entre ricos e pobres na sociedade judaica:

Entranhada na tradição de Israel existia então um sentimento de igualdade, uma espécie de corrente, sendo isto confirmado por inúmeros textos bíblicos. […] As Escrituras Sagradas […] ordenavam: “Quando entre ti houver algum pobre de teus irmãos, em alguma das tuas cida­des, na tua terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração nem fecharás as tuas mãos a teu irmão pobre” [e] avançavam mais, anunciando que o pobre devia ser levantado do pó, o mendigo do monturo e colocado entre os príncipes, e que Deus faria “justiça aos aflitos”, isto é, puniria o homem que “perseguisse o aflito, o necessitado, o quebrantado de coração”. Através de todos os seus ensinamentos, Jesus aplicou-se a subverter a ordem das classes, particularmente nas Bem-Aventuranças, o mais sublime dos seus discursos. Para ele, o homem rico e poderoso era claramente uma criatura infeliz, que tinha tanta dificuldade em entrar no reino dos céus como o camelo em passar pelo buraco de um agulha, enquanto o pobre e o rejeitado obtinham favor por toda eternidade. […] Embora os princípios da igualdade no plano espiritual não tenham talvez superado a dureza dos corações humanos na agitação da vida diária, eles tiveram uma influên­cia bastante perceptível na vida social judaica.

Deus só faz o bem (Tg 1.16,17)

W. C. Taylor apresenta uma boa paráfrase do texto em que se baseia esta seção:

É de Deus que procede tudo que é bom no universo, e apenas o bom. Todos os impulsos, todos os dotes que herdamos por natureza são bons. Ele nunca colocou em nós tendências para o mal. De sua iniciativa criadora e providencial procede somente o bem. “Viu Deus tudo que fizera e eis que era muito bom”. O Pai Criador das luzes que brilham em nosso firmamento é luz perfeita sem mistura de trevas. O sol reveza o dia e a noite, a lua tem suas fases, o sistema planetário seus eclipses, mas estas mudanças não têm paralelo em o caráter de Deus. Nele não há variação, nem sombras ou nuvens. Eternamente é luz inefável, procurando nosso bem.

Primícias de Deus entre as criaturas  (Tg 1.18)

Millard J. Erickson define regeneração como “a obra do Espírito Santo em criar uma nova vida na pes­soa pecadora que se arrepende e passa a crer em Cristo”. Se você não conhece bem essa doutrina, procure se aprofundar um pouco. É um assunto que você encontrará facilmente em teologias sistemáticas e dicionários teológicos. A expressão “gerados pela palavra da ver­dade”, ligada a essa doutrina, é explicada por Warren W. Wiersbe:

Assim como a concepção humana requer um pai e uma mãe, também o nascimento divino tem dois pais: o Espírito Santo de Deus e a Palavra de Deus. “O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é es­pírito” [Jo 3.6]. “Pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente” [1Pe 1.23]. O Espírito de Deus usa a Palavra de Deus para realizar o mila­gre do novo nascimento. Uma vez que a Palavra de Deus “é viva, e eficaz” [Hb 4.12], pode gerar vida no coração do pecador que crê em Cristo; e essa vida é a vida de Deus.

Lição 5 (leia aqui).

BIBLIOGRAFIA. Daniel-Ropes, Henri. A vida diária nos tempos de Jesus. Tradução 
de Neyd Siqueira. São Paulo: Vida Nova, 1983. * Erickson, Millard J. Dicionário 
popular de teologia. Tradução de Emirson Justino. Ed. rev. São Paulo: Mundo 
Cristão, 2011. *Taylor, W. C. (Org.) A epístola de Tiago: tradução e comentário. 
Tradução e comentário de W. C. Taylor. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Batista, 
1942. * Wiersbe, Warren W. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento. 
Tradução de Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica, 2007, v. 2.
Anúncios

2 comentários em “Lições Bíblicas: “Gerados pela palavra da verdade”

  1. Pingback: Lições Bíblicas: “A importância da sabedoria humilde” | Sabedorias Bíblicas

  2. Paz do Senhor, tenho acompanhado seus estudos, me tem sido uma bençao, não gosto muito dos comentários tipos os da pagina de hoje, nem mesmo o irmão fez “uma transição convincente”, se fez não percebi, de maneiras que não entendi sua colocação. Paz do Sr.

    Gilmar, a ideia nesses comentários é fornecer subsídios para o professor desenvolver cada seção, não se trata de um plano de aula. Os próprios subsídios devem ser desenvolvidos e adaptados à aula. A transição também fica a cargo do professor, ok?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s