Lições Bíblicas: “Um tipo do futuro Anticristo”

Lição 12 — 4.° trimestre de 2014

Nesta lição, “trataremos de um personagem que se destaca dentro da profecia de Daniel e envolve fatos que já acon­teceram e se cumpriram historicamente. O cumprimento dessas profecias fortalece a confiança e a credibilidade das visões e revelações de Daniel. Porém, o personagem que aparece é um dos últimos reis do Império Grego, chamado Antíoco Epifânio IV, da família dos ptolomeus, o qual será destacado pela crueldade e pelo desprezo às coisas sagradas. Ele aparece mais no final do capítulo 11” (Elienai Cabral).

Predições proféticas cumpridas com exatidão (11.2-20)

O autor dedica boa parte desta desta seção à pessoa de Alexandre, o Grande. Sugiro que você assista a este vídeo do History Channel sobre o Império Grego e sua influência:

Confira também o resumo biográfico nos sites WikipédiaHistorianet.

O caráter perverso de Antíoco Epifânio (11.21-35)

Se você tem uma Bíblia “católica”, leia o primeiro capítulo de 1Macabeus, que registra a transição do reinado de Alexandre, o Grande, para o reino dividido entre seus generais. Os versículos 41-64 falam da opressão que o judaísmo sofreu sob o governo de Antíoco Epifânio. Você também pode ler aqui. Sobre o caráter perverso de Antíoco e o cumprimento dessa profecia, Severino Pedro da Silva comenta:

Antíoco Epifânio após conquistar o que desejava seu coração, a única força que sempre lhe apresentava resistência era o Egito. Então, com astúcia (essa era, na maioria das vezes, sua arma pre­dileta), fingiu um “concerto” com o sobrinho de Ptolomeu Filopater, e depois deste tratado de paz (fingida), ele veio “caladamente como uma inundação” e tomou os “lugares
mais férteis da província”, e depois revoltou-se também contra o “príncipe do concerto” [Ptolomeu Filopater, na opinião de Silva]. […]  Tudo realmente aconteceu como predissera a profecia; Antíoco fez uma aliança com o monarca egípcio, mas sem a mínima intenção de observá-la, o que lhe seria inconve­niente, motivado que estava somente pelo desejo do seu próprio engrandecimento. Depois de ele ter ganho a inteira confiança de Ptolomeu Filopater, veio “caladamente” com pouca gente (para não despertar a atenção) e traiu a Ptolo­meu e sua gente. Nesta investida contra o reino do Sul (Egito), embora os seus colaboradores fossem pouca gente, ele teve êxito total, e penetrou nas fontes de riquezas do Egito; tudo ali foi despojado, sendo distribuído com aque­les que deram apoio à sua intervenção e astúcia. Josefo diz que ele teve planos, nesta sua investida, para tomar mais outras cidades lucrativas e subjugá-las. O Deus vivo, a quem tanto ele tinha desafiado, interveio contra a sua obstinada tirania. Ele porém, frustrado nesta aventura, saiu “caladamente” para tomar as províncias sujeitas ao gover­no de Ptolomeu Filopater, rei do Egito.

Antíoco Epifânio, tipo do Anticristo

O tipo é uma figura de linguagem importante na Bíblia. Existe até uma matéria que estuda esse assunto, a “tipologia bíblica”. Você pode utilizar esta definição do livro Hermenêutica, do curso ENSINAI, que escrevi para a AD de Curitiba:

Podemos definir tipo como uma personagem, elemento ou evento do Antigo Testamento historicamente verídico projetado por Deus para prefigurar outra personagem ou evento especificado no Novo Testamento, o qual corresponde e completa (eleva) o tipo. O tipo difere da alegoria por representar uma referência histórica concreta. O correspondente do tipo no Novo Testamento é denominado antítipo. […] Os elementos, personagens ou eventos do Antigo Testamento que têm o seu antítipo no Novo são todos reais. Nenhum tipo é imaginário. Todos consistiam de pessoas ou elementos que existiram ou de eventos que de fato aconteceram e foram testemunhados.

Assim, Antíoco é considerado um tipo porque foi uma pessoa real. Embora os livros canônicos não mencionem o seu nome (pelo menos não nos livros canônicos), não há dúvida de que ele é o cumprimento da profecia. Em suma, no Antigo Testamento esse rei é uma personagem histórica não nomeada e como tal veio a ser um tipo do Anticristo. O nome dele só aparece mais tarde, mas é um detalhe que não anula a regra de o tipo ter de constar necessariamente do Antigo Testamento.

Nota: Deixe o seu comentário, esse retorno é importante para mim. Se quiser compartilhar algo sobre o assunto desta lição com os outros professores, fique à vontade para usar este espaço.

Lição 13 (leia aqui).

BIBLIOGRAFIA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s