A vida é uma espreguiçadeira

Nas atuais circunstâncias, em que me vejo forçado a repensar a vida, deparei com esta história no livro Quem precisa de Teologia?, de  Stanley J. Grenz e Roger E. Olson:

Charlie Brown está sentado diante da barraca de “pronto-socorro psiquiátrico” de Lucy quando a “doutora” declara com eloquência:

— A vida, Charlie Brown, é como uma espreguiçadeira.

— Como o quê?! — exclama ele.

Lucy explica:

— Você alguma vez já esteve num navio de cruzeiro? Os passageiros desdobram as cadeiras de lona para que possam sentar-se ao sol.

Apontando para sua esquerda, continuou:

— Algumas pessoas posicionam suas cadeiras na direção da parte traseira do navio para que possam ver por onde passaram.

Gesticulando em seguida na direção oposta, ela diz:

— Outras colocam as cadeiras viradas para a proa. Querem ver para onde estão indo!

Terminada a explicação, Lucy volta-se para o “paciente” sentado na banqueta e dispara:

— No cruzeiro da vida, Charlie Brown, para que direção está voltada sua espreguiçadeira?

O rapaz pensa por um momento e então responde:

— Nunca fui capaz de desdobrar uma.

Será que eu sou Charlie?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s