Arquivos de Categoria: Coisas que só eu encontro nos livros

Coisas que só eu encontro nos livros (34)

Nota de 10000
Dentro do meu Dicionário grego-português e português-grego, de Isidro Pereira, encontrei esta nota de 10 mil cruzeiros, que deve ser do início da década de 1990. Não lembro onde a consegui. E estava acompanhada de uma irmã gêmea. No Mercado Livre, pode valer de R$ 10,00 a R$ 50,00.

10000 cruzeiros

Anúncios

Coisas que só eu encontro nos livros (33)

Assinatura de 233 anos
A obra mais antiga que possuo é um comentário de Salmos em dois volumes, da autoria de George Horne. Trata-se da segunda edição, datada de 1778. Na folha de rosto, consta uma inscrição feita à pena: “S. Butler 1785”, provavelmente o nome de seu primeiro dono.

S. Butler 1785

Coisas que só eu encontro nos livros (32)

Autógrafo de Carlos Lacerda
Não lembro onde nem quando comprei este livro, mas estava listando os volumes da minha biblioteca quando deparei com a dedicatória do autor a uma tal Maria da Glória Vieira da Cunha, datada de 3 de janeiro de 1963 (clique para ampliar).

Carlos Lacerda foi comunista, mas rompeu com o movimento em 1939, por “considerar que tal doutrina ‘levaria a uma ditadura, pior do que as outras, porque muito mais organizada, e, portanto, muito mais difícil de derrubar’. A partir de então, como político e escritor, consagrou-se como um dos maiores porta-vozes das ideologias conservadora e direitista no país, e grande adversário de Getúlio Vargas, e dos movimentos políticos trabalhista e comunista” (Wikipédia).

 

Coisas que só eu encontro nos livros (31)

Salmo 151

salmo-151Em 1999, quando eu trabalhava na CPAD, ganhei do pastor Joel Leitão de Melo, escritor da Casa, uma edição de 1913 do livro de Salmos, com o texto sagrado e os comentários totalmente em hebraico. Nunca estudei o idioma, porém guardo o presente com mundo carinho, até mandei encaderná-lo.

Além do livro, o pastor Joel entregou-me uma folha de papel escrita à mão por ele mesmo, um pequeno artigo intitulado “O salmo 151” (clique na imagem para ampliar). O texto resume a história desse salmo apócrifo. No final, há uma tradução do salmo. Colei a folha na contracapa do livro, onde a mantenho até hoje. Esta é a tradução (abreviada, me parece) do salmo 151, feita pelo pastor Joel:

Este salmo é do próprio Davi, ainda que fora da numeração e composto quando ele lutou sozinho contra Golias.

Guardava as ovelhas de meu pai. Minhas mãos fizeram um instrumento de música e meus dedos tocaram um saltério. Que dirá meu Senhor? O Senhor mesmo escuta. Ele mandou seu anjo, tirou-me do meio das ovelhas de meu pai e me ungiu com óleo de sua unção. Meus irmãos eram altos e amáveis, mas o Senhor não se agradou deles.

Saí para encontrar-me com o filisteu e ele me insultou em nome de seus ídolos. Mas eu tomei a sua espada, degolei-o e tirei o opróbrio dos filhos de Israel.

%d blogueiros gostam disto: